terça-feira, 10 de julho de 2018

Vacinas Salvam Vidas!

Com o início da temporada de férias escolares e inverno, alguns cuidados com a saúde, são importantes e necessários.
Estamos falando das vacinas.
Gazeta do Povo
Tivemos recentemente um surto de Febre Amarela.
Estamos com alguns casos de Sarampo espalhados pelo país.
E no inverno temos vários casos de Gripe.
Diante de tais acontecimentos, a vacinação é a única forma de controle e proteção.
Febre Amarela – vacina para febre amarela.
Publico alvo: crianças a partir de 9 meses, moradores de áreas de risco, região amazônica, Espirito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.. Também à todas as pessoas que irão viajar dentro do país ou em viagens internacionais (onde será exigida a carteira de vacinação internacional). Obs.: esta vacina só tem efeito após 10 dias da aplicação, programe sua viajem e seus passeios com antecipação para não ser pega(o) de surpresa. 
Em alguns estados do país, estão sendo aplicadas doses fracionadas, que são suficientes para quem vive ou viaja dentro do país. Para quem vai sair do país são aplicadas as doses completas (cheias) para uma imunização maior, regras internacionais da OMS.
Vacina: confere imunidade em 95 a 99% aos vacinados após 10 dias após sua aplicação. Tem em sua composição o vírus vivo atenuado cultivado em ovos embrionários de galinha + sacarose + glutamato. É administrada subcutaneamente.
Efeitos da vacina: pode ocorrer dor passageira no local da aplicação. Algumas pessoas podem apresentar febre ou cefaleia entre o 6º e 10º dia após a aplicação. Neste caso, pode-se utilizar analgésicos comuns, menos AAS e aspirina.
Contra-indicado: pessoas com histórico de reação anafilática a ingestão de ovo.
Por que tomar a vacina: a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por vírus e transmitida por mosquitos vetores. Possui dois ciclos de transmissão. Pode estar na forma urbana (transmitida pelo mosquito Aedes aegypti) ou silvestre (transmitida em área rural ou de floresta pelo Haemagogus e Sabethe).
portalms.saude.gov.br
O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. O desafio é a disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti. A pessoa infectada pode apresentar os sintomas de 3 a 6 dias após ser picada.
portalms.saude.gov.br
A maioria das pessoas melhora em poucos dias, mas algumas podem desenvolver as formas mais graves da doença e ser levada a morte.
Diagnóstico e tratamento: devem ser feitos por médicos.
Prevenção: vacina.
portalms.saude.gov.br
Gripe H1N1 – vacina para Gripe 2018 – Influenza A e uma linhagem do influenza B, H1N1 e H3N2 .
Publico alvo: gestantes, parturientes, crianças entre 6 meses e 5 anos, população indígena, adultos acima de 60 anos, profissionais da saúde e educação e doentes crônicos. Excepcionalmente, este ano estão inclusos crianças de 5 a 9 anos e adultos de 50 a 59 anos.
tudonews.com.br
Vacina: refeita anualmente, devido a mutação constante dos vírus. De acordo com as analises dos tipos de influenza que circularão na próxima temporada, serão escolhidos três tipos, que serão incluídos no imunizante, vacina. Tem em sua composição o vírus , que será colocado em ovos de galinha com embrião vivo em desenvolvimento, depois de extraído o vírus, é purificado e inoculado, para que se torne a vacina propriamente dita. As vacinas protegem contra os tipos A, B, C (causa apenas infecções respiratórias brandas, sem relação com epidemias) do vírus.
Reações da vacina: febre leve e vermelhidão no local aplicado.
Contra-indicado: está contraindicada apenas para bebês com menos de seis meses de vida, pessoas com febre (acima de 39º), com doença neurológica ou que tenham alergia ao ovo, à neomicina ou às substâncias timerosal, presente no Merthiolate.
Por que tomar a vacina: gripe, ou influenza, é uma infecção aguda do sistema respiratório, ocasionada pelo vírus, com alto grau de transmissão. Geralmente tem evolução por um período limitado, mas pode se apresentar de forma mais grave, ampliando este tempo e propagando-se mais facilmente e sendo responsável por altas taxas de hospitalização. Idosos, crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas, ou imunodeficiência são mais vulneráveis aos vírus. O organismo leva, em média, 20 dias para criar os anticorpos que darão proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno, que começa em junho. O período de maior circulação da gripe vai do final de maio até agosto.

Diagnostico e tratamento: devem ser feitos por médicos.
Prevenção: vacina. É a intervenção mais importante para evitar casos graves e mortes pela doença. Algumas medidas podem ajudar a afastar o risco de contaminação: 
  • Frequente higienização das mãos, com água e sabão, ajuda a reduzir o risco de contaminação do vírus que sobrevive por 2 a 8 horas nas superfícies. Evitar levar as mãos ao rosto e, principalmente, à boca.
  • Sempre que possível, tenha um frasco com álcool-gel para garantir que as mãos estejam esterilizadas, sempre.
  • Utilizar lenço descartável para assoar o nariz. Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir. Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Higienizar as mãos após tossir ou espirrar.
  • Não compartilhar utensílios de uso pessoal, como talheres, pratos, copos, travesseiros ou toalhas.
  • Manter os ambientes bem ventilados. Evitar manter contato muito próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza, assim como aglomerações e ambientes fechados.
  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença. Manter hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e beber bastante água. Caso necessário, utilize uma máscara para proteger-se de gotículas infectadas que possam estar no ar. Afastamento temporário (trabalho, escola etc.) até 24 horas após cessar a febre.
Sarampo – vacina Tríplice Viral para Caxumba, Rubéola e Sarampo.

Publico alvo: pessoas de todas as idades. O grupo de risco são pessoas de 6 meses a 39 anos, assim como trabalhadores em portos e aeroportos. É considerado desnecessário a aplicação após os 50 anos, pois deduz-se que o individuo já teve contato com a doença, ou já tomou o reforço da mesma. As crianças devem tomar duas doses da vacina combinada contra rubéola, sarampo e caxumba (tríplice viral): a primeira, com um ano de idade; a segunda dose, entre quatro e seis anos. Os adolescentes, adultos também devem tomar a vacina tríplice viral ou dupla viral (contra sarampo e rubéola).
Vacina: tem em sua composição 3 vírus atenuados, enfraquecidos, para Caxumba, Rubéola e Sarampo. Pode dar reação a quem possui alergia ao leite, pois é contido na vacina.
nexojornal.com.br
Reação da vacina: queimação e ou pontadas no local da aplicação e febre. Alguns casos de cansaço, sonolência, dores de cabeça e erupção na pele, são mais raras.
Contra-indicado: gestantes, indivíduos com suspeita da doença, crianças menores de 6 meses e pessoas imunocomprometidas (doenças que abalam o sistema imune).
Por que tomar a vacina: sarampo, é uma doença infecciosa aguda, viral do gênero Morbillivirus (MV), transmissível por via respiratória, extremamente contagiosa e comum na infância, mas que em sua forma agressiva, pode levar a morte. Atinge mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.
diariodamanha.com.br
Diagnostico e tratamento: controle da febre, boa alimentação e repouso. Não há tratamento especifico.
Prevenção: a única forma é a vacinação.
Lembre-se da importância da cobertura vacinal da população em todo território nacional.
Faça sua parte.

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário